em Sem categoria

Assessoria de imprensa: o risco dos erros de português no release

Equívocos no press release ou na ‘venda’ de uma pauta podem manchar a imagem da assessoria e do cliente

 

Editorial aboutCOM

 

Saber escrever bem é obrigação para quem trabalha com comunicação, quer manter uma boa relação com jornalistas e, sobretudo, quer ser lembrado como uma fonte de credibilidade. Um erro de concordância ou de digitação da assessoria de imprensa em uma pauta, no press release ou mesmo em um comunicado, por mais simples que pareça, pode resultar na queda de confiabilidade da marca.

Parece exagero, mas basta uma olhada rápida em páginas de troca de releases e de anúncios de vagas para ver uma sucessão de erros escritos por profissionais da área que soam farto desconhecimento da forma culta da língua. “Assesoria” (sic); “possuir experiência”; boilerplate com informações erradas do cliente… e por aí vai.

Colocar a culpa na língua portuguesa, que tem fama de ser difícil devido à riqueza de vocabulário e de gramática, não é uma boa desculpa, especialmente no caso do assessor de imprensa e do jornalista, já que se pressupõe que eles dominam o idioma.

Além disso, os assessores são considerados a “cara” do seu cliente para mídia, para o bem e para o mal. Colher os louros de um trabalho bem feito é a meta. Mas veicular um press release com erros gramaticais é o mesmo que dizer que a empresa não se compromete com o que escreve e publica, descuido que torna a marca alvo fácil de chacota de repórteres e editores e que pode acabar com um relacionamento já difícil de manter. São organizações como essas, inclusive, as primeiras a serem descartadas pelos jornalistas, cuja principal função é checar informações e desconfiar de tudo que recebe.

Se preocupar em produzir um material eficiente, com todas as informações necessárias e, sobretudo, sem erros linguísticos, é o papel fundamental do assessor de comunicação. Quando a mensagem não chega de forma clara e concisa, complica o trabalho do jornalista ou não desperta seu interesse. Assim, aquela possível pauta que poderia dar visibilidade ao cliente pode se perder.

E não é só do lado da assessoria que podem acontecer os erros. Ter o domínio total da língua portuguesa é também fundamental para os porta-vozes da empresa e um item essencial a ser abordado em media trainings.

Mas, lembre-se, se você cometeu um errinho de digitação, ou mesmo deixou escapar uma falha da gramática, vale mandar um e-mail ou uma errata para corrigir. De longe, não é o melhor caminho e definitivamente um que deve ser evitado, mas se a ocasião for rara e seu relacionamento com a mídia for bom, vale a máxima de que todos nós estamos sujeitos a errar.

É por isso que o português correto é fundamental, mas ter um relacionamento bom com os jornalistas é crucial para o trabalho do assessor. Afinal, nunca faltarão concorrentes para lhes mostrar o caminho para outras fontes.

Por isso, triplicar a atenção no material veiculado em nome do seu cliente pode fazer a diferença na atenção que ele ganha na mídia e na imagem que a empresa pretende passar para seu público-alvo.

Escreva um comentário

Comentário