em aboutCOM, Estratégia de Comunicação, imprensa, informação, jornalismo, novas mídias, Universo Comunicação

5 perguntas imprescindíveis para um bom briefing de RP para empresas de tecnologia

Editorial aboutCOM

Saber o que esperam, o que precisam e entender o que deve ser feito a partir do briefing é ter a certeza de que fez as perguntas certas

Um bom briefing é a base para que qualquer trabalho de comunicação seja mais assertivo e direcionado a resultados. Quando falamos do setor de tecnologia, principalmente, ele se torna a chave para o sucesso. Mas por quê? Porque, num mercado com tantas especificações, quanto melhor entendida a campanha, seu objetivo, o produto ou o lançamento, mais direcionado será o esforço de relacionamento com a imprensa.

Perguntas básicas, como: quando vai acontecer tal novidade? qual é o público que desejam atingir? quais mensagens não podem faltar?; são relevantes. Mas, em posse de perguntas mais específicas, a área de comunicação, com o apoio da agência, irá poupar tempo em pesquisas e refação. Todos vão trabalhar com mais foco e com expectativas alinhadas.

Pensando nisso, o time aboutCOM se reuniu para dizer 5 perguntas que não podem faltar ao buscar informações para uma campanha de relações públicas. Repare que elas podem ainda desmembrar em temas mais específicos.

Com elas em mãos, a equipe de comunicação já fica ciente de um briefing inicial e pode tomar decisões mais seguramente.

1. Quais os diferenciais da minha campanha ou lançamento que merecem ser comunicados?

Quando o assunto é comunicação com a imprensa, o ineditismo é quem define o tamanho do impacto que uma notícia pode ter. Um produto ou uma campanha pode trazer inúmeras informações, mas, para esse público em específico, ele precisa ter um atrativo tecnológico que o diferencie dos demais.

A imprensa que cobre o assunto hoje busca informações que apontem grandes mudanças de comportamento na sociedade ou até mesmo nas empresas. Atualizações, por exemplo, em aplicativos ou softwares já não são considerados lançamentos e a mídia não costuma mais dar espaço.

2. Qual o timing ideal para a empresa, de acordo com outras divulgações e negócios que estão acontecendo, como parcerias, investimentos e etc.

 

 

Na aboutCOM, buscamos sempre olhar todo o plano de comunicação e negócios e não apenas fazer divulgações pontuais. Perguntar sobre toda a linha do tempo de um produto ou campanha e sobre as prioridades da empresa ajuda a entender em que contexto o tema se encaixa. Não só dentro da empresa, mas fora dela.

A mídia de tecnologia possui, por exemplo, sua própria agenda de eventos. É importante acompanhá-la para entender quais projetos possuem relevância para a imprensa e, desse modo, evitar concorrer diretamente por espaços na mídia com eles.

3. Qual a estratégia de divulgação de divulgação para os demais públicos da empresa?

 

 

Na atualidade, o papel de uma agência e de uma equipe de comunicação é ir além do relacionamento com a imprensa e entender todos os passos de uma campanha. Isso porque relacionar é algo que vai acontecer em todos os pontos de contato da empresa.

Nesse contexto, compartilhar uma visão de relações públicas é apoiar uma estratégia integrada de comunicação, apontando, inclusive, quando o trabalho de relacionamento com imprensa não cabe para aquele momento, ou, pelo contrário, é prioridade. Aqui abre-se espaço para discutir ainda mais próximo de ações táticas, como sugestão de entrevistas exclusivas, artigos e cases.

 

4. Qual é a expectativa em relação aos esforços de assessoria de imprensa?

 

Alinhar expectativa é sempre importante, principalmente em um momento em que o cenário de imprensa no País é completamente diferente de outros na América Latina. Definir claramente uma meta, considerando fatores internos e externos, vai servir como uma métrica de sucesso para a ação, agência e cliente.

Quando há uma campanha que apresenta um fator de ineditismo considerado relevante para a imprensa, podemos pensar em obter a presença em veículo TIER 1 (alta relevância) dentro do Mapa de Mídia daquela empresa. Já em uma divulgação pontual ou menor, ter resultados em TIER 2 (média relevância) também pode ser considerado uma conquista.

 

5. Qual o porta-voz ideal para o material?

 

Nem sempre o CEO é a melhor pessoa para comentar um assunto. E é importante saber disso e poder indicar outros profissionais da empresa para falar, principalmente quando o assunto está muito relacionado a esse executivo.

Estabelecer o porta-voz para determinado assunto, caracteriza o tema por meio de seu ‘embaixador’. Ele passa ser a fonte da empresa para determinado assunto e torna-se a voz da companhia junto ao público por meio da imprensa. Saber quem vai ser essa pessoa pode fazer com que se ganhe tempo para pensar em treinamentos, mensagens-chave que combinam com o executivo, entre outros.

Acredita que essas perguntas podem fazer parte do seu repertório de briefing? Compartilhe conosco outras que utiliza e não pode ficar sem. Além disso, se o assunto lhe interessou, leia nossos posts sobre Como fazer um plano integrado de comunicação e marketing para empresas de tecnologia e aprofunde-se na forma como a aboutCOM atua.

Escreva um comentário

Comentário